Projeto “Mulheres em Rede” lançado na Bahia

Reafro entra como parceira na execução deste projeto, ofertando mentoria de negócios para 30 mulheres negras quilombolas e não quilombolas, moradoras da região metropolitana de Salvador e capital baiana.

A proposta do projeto “Mulheres em Rede”, uma ação celebrada entre o Bloco Afro Idará e a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, consiste na criação de um Ponto de Memória Virtual, que funcionará como ferramenta de divulgação e comercialização dos artesanatos produzidos pelas afroempreendedoras beneficiárias do projeto. O Ponto de Memória Virtual será um espaço museologizado, apresentando aos seus visitantes as histórias e memórias destas mulheres detentoras de saberes diversos, e que reconhecemos como patrimônio cultural, ultrapassando a visão limitada de mercadoria.Teremos ao longo da consolidação do projeto, quatro encontros de formação com temáticas voltadas ao enfrentamento do racismo e o fortalecimento do Afroempreendendorismo como forma de minar o cenário racista que nos assedia cotidianamente. 
Capacitar para os usos das plataformas digitais são também o foco das nossas atividades, pois, entendemos que quanto mais nos apropriamos das tecnologias e espaços midiáticos, evitaremos que no futuro se crie uma nova forma de nos invisibilizar.  Acompanhamentos individuais voltadas para a construção da proposta de negócio e presença digital. 
A proposta alia a relação com patrimônio cultural, o afroempreender e a emancipação feminina.
Anterior a criação do site, faz-se necessário a criação de uma.rede social para iniciarmos nosso diálogo com o público, dar visibilidade ao projeto nesse período de consolidação, para que depois este produto final seja apreciado por um público bastante amplo. 
” A memória como instrumento de luta, por um presente mais justo” Aline VIana (Coordenadora de Inventário Participativo).

Fonte: Daniel de Lira, diretoria REAFRO.

Scroll Up